Saldo positivo nas primeiras semanas do novo Passe Único


O novo Passe Único Navegante que entrou em vigor a 1 de abril, já foi adquirido por mais de 411 mil utentes, o que representa um crescimento de 30% face ao mesmo período de 2018.

Dados relativos ao período em que se iniciou a venda dos novos passes, a 21 de março através do portal VIVA e a 26 de março nas redes de venda dos operadores e rede multibanco, indicam que foram adquiridos, até ao dia 5 de abril, mais de 411 mil passes Navegante, válidos para o mês de abril.

Apesar de se tratar de dados provisórios, segundo informação da Área Metropolitana de Lisboa (AML), se comparados os períodos homólogos de 1 de março a 5 de abril, em 2019 foram vendidos mais de 195 mil passes do que em 2018, o que representa um crescimento superior a 30%.

Os novos passes únicos vendidos nos primeiros cinco dias do mês de abril representaram cerca de 87% de todos os passes comprados na AML, correspondendo assim a uma simplificação do sistema tarifário, tendo presente que anteriormente os títulos intermodais representavam, em média, 50,7% das vendas de passes.

O Navegante +65 representa cerca de 12,5% dos novos passes vendidos. O dia 1 de abril foi o dia em que se registou maior número de vendas, com o carregamento de mais de 93 mil títulos.

Relativamente à venda de cartões Lisboa VIVA (suporte físico necessário para o carregamento dos passes NAVEGANTE), nos primeiros cinco dias de abril foram solicitados mais de 17 mil novos cartões, o que representa um crescimento de 190% relativamente ao período homólogo de 2018.

Desde 1 de abril que está em vigor a maior alteração tarifária das últimas décadas, expressando uma redução significativa do preço dos títulos de transportes para a generalidade dos 550 mil passes (intermodais, próprios e combinados) vendidos, em média, mensalmente na área metropolitana de Lisboa, passando ainda a abranger mais de 900 mil residentes na AML e de 70% do território, que até ao momento estavam fora do sistema de passes intermodais.

Com um preço único de 30 euros (para usar os transportes dentro do mesmo município) e de 40 euros (para usar os transportes de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira), este novo passe único será valido de mês a mês e não por 30 dias, como até agora.

A Câmara de Sintra investiu 3,9 milhões de euros na criação do passe único. O valor sobe para 4,5 milhões de euros anualmente a partir de 2020. “Esta medida vai aliviar as despesas mensais de centenas de milhares de pessoas e revolucionar a forma de mobilidade em Sintra e em toda a Área Metropolitana de Lisboa”, defendeu o presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta, acrescentando que a decisão, “viabiliza uma estratégia de desenvolvimento sustentável que vai melhorar, de forma muito significativa, a vida de todos que estudam, trabalham e vivem em Sintra”.

Este investimento do município de Sintra corresponde à necessidade de cofinanciamento, por parte dos municípios, do vasto conjunto de decisões com vista à melhoria da mobilidade e transportes, tendo sido definido um valor global de 31 milhões e 225 mil euros da responsabilidade dos municípios.

Para saber mais sobre os passes NAVEGANTE consultar www.aml.pt/passe-palavra