Eixo Verde e Azul nomeado como uma boa prática ambiental europeia


O projeto Eixo Verde e Azul, da Câmara Municipal de Sintra, que estabelece uma estratégia integrada de intervenção destinada a criar e consolidar um eixo ecológico, foi nomeado como uma boa prática ambiental. As melhores práticas serão reunidas numa publicação a ser distribuída na 25.ª Cimeira das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP25), que se realiza em Madrid, de 2 a 13 de dezembro.

O Comité das Regiões pretende contribuir para os debates da COP25, demonstrando que o papel das cidades e regiões é crucial na consecução dos objetivos de Paris e que os órgãos de poder local e regional da União Europeia podem ser pioneiros no combate às alterações climáticas.  A conferência vai reunir representantes de mais de 190 nações, que terão como missão discutir a revisão das emissões de gases, enunciadas no Acordo de Paris (2015) e de atualização obrigatória na cimeira do próximo ano, em Glasgow, no Reino Unido.

O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, defende ser essencial desenvolver políticas que permitam aos territórios com elevada densidade populacional adotar políticas sustentáveis e ecológicas. Sintra é, neste aspeto, um caso de sucesso e um exemplo a seguir.

O Eixo Verde e Azul concretiza a estratégia integrada de requalificação do rio Jamor e suas margens, da nascente à foz, aumentando a oferta de espaços verdes, e assim contribuir para a melhoria da qualidade de vida e dos espaços das cidades, tratando-se de uma mudança qualitativa na Área Metropolitana de Lisboa. O projeto estabelece uma estratégia integrada de intervenção destinada a criar e consolidar um eixo ecológico, que atravessa os concelhos da Sintra, Amadora e Oeiras.

A COP25 resulta da Convenção-Quadro da UNFCCC –United Nations Climate Change (Nações Unidas para as Alterações Climáticas).

Mais informações : em https://cor.europa.eu/en/events/Pages/COP25_projects.aspx#5