Autarquia de Sintra investe mais de 1 milhão de euros nas escolas do concelho


A Câmara Municipal de Sintra volta a intervir nas escolas do Concelho de Sintra, proporcionando um aumento da qualidade dos estabelecimentos de ensino para milhares de crianças, num investimento de cerca de 1 milhão e 440 mil euros.

O presidente da autarquia, Basílio Horta, referiu que “a Câmara de Sintra assumiu como prioridade a área da educação, com a requalificação e o melhoramento das condições das escolas do concelho”, sublinhando que “investir nas escolas é investir no futuro”.

Em reunião de executivo, realizada esta terça-feira, a autarquia aprovou o início da empreitada de arranjos exteriores nas Escolas Básicas Algueirão 1 e de Serradas, no valor de 275 mil euros, e ainda a abertura de concurso público para a Empreitada de Arranjos Exteriores das Escolas Básicas da Rinchoa 1 e de Mem Martins n.º 2, no valor de 271 mil euros, ambas com prazo de execução de cinco meses.

Estas intervenções visam dar lugar à reabilitação, valorização e modernização dos logradouros escolares, com o objetivo de inverter a trajetória de décadas sem conservação, de forma a garantir boas condições de funcionamento, garantido as condições de conforto dos mesmos.

Foi também aprovada em reunião de câmara a abertura de concurso público para a Empreitada de Requalificação de Cozinhas das Escolas Básicas de Albarraque, Mem Martins n.º 5, Algueirão, D. Maria, Xetaria e Rio de Mouro 2, num valor total de 685 mil euros e prazo de concretização de 3 meses, e para a Escola Básica de Fitares, onde serão também construídas três salas de aulas de apoio ao atual espaço de refeitório e cozinha, num prazo de execução de quatro meses, num investimento de 209 mil e 500 euros.

Os trabalhos visam a remodelação e ampliação das cozinhas e substituição de equipamentos obsoletos garantindo assim melhores condições e uma maior segurança alimentar.

O Plano de Investimentos nas Escolas de Sintra, apresentado em março de 2018, prevê a intervenção em 98 estabelecimentos de ensino, compreendendo mais de 30 mil alunos, num investimento total de cerca de 24 milhões de euros dos quais 3 250 milhões de fundos comunitários.